|
porPlataforma ONGD
fonteVários
a 19 JUN 2019

UNIÃO EUROPEIA LONGE DE ATINGIR METAS NO COMBATE ÀS DESIGUALDADES

A União Europeia e os seus Estados membros continuam a não fazer o suficiente para dar resposta às desigualdades socioeconómicas estruturais e aos problemas ambientais. Esta é uma das conclusões de um relatório apresentado no dia 18 de junho, no âmbito dos Dias Europeus do Desenvolvimento que decorrem em Bruxelas.

Sobre o relatório
Intitulado “Falling Through the cracks: Exposing inequalities in Europe and Beyhond”, o relatório procura mostrar o impacto que o crescimento das desigualdades tem nas populações e no planeta, traçando um retrato de algumas das áreas em que essas desigualdades são mais visíveis. Para além de uma perspetiva global da União Europeia, este trabalho inclui igualmente 15 relatórios nacionais sobre o combate às desigualdades e 11 relatórios temáticos que exploram áreas específicas como género, idade, etnia e riqueza.

Este relatório foi elaborado no âmbito do projeto “Make Europe Sustainable For All”, implementado em 15 estados membros da UE, e tem como foco os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável aprovados pelas Nações Unidas em setembro de 2015.

Portugal é um dos países onde foi produzido um relatório nacional. Subordinado ao tema “Desigualdades e Desenvolvimento | O contributo de Portugal para a concretização do ODS 10”, o relatório aborda sobretudo de que forma se manifestam as desigualdades de género e de rendimento, mostrando também pontos positivos e negativos na forma como Portugal contribui para a diminuição das Desigualdades a nível mundial.

A produção do relatório Português foi coordenada pela Plataforma Portuguesa das ONGD e pela CPADA – Confederação Portuguesa de Associações de Defesa do ambienta, parceiras nacionais no projeto Make Europe Sustainable for All.

Porque é que este assunto é importante
O relatório é lançado após as recentes eleições europeias, nas quais se verificou a maior participação dos últimos 20 anos e em que muitos partidos favoráveis a causas progressistas relacionadas com o combate efetivo a diferentes desigualdades viram crescer significativamente o seu número de votos.

Esta semana, de 20 a 21 de Junho, terá também lugar uma Cimeira do Conselho Europeu em que as e os líderes da UE irão tomar importantes decisões sobre a Agenda Estratégica Europeia para o período 2019-2024. A promoção de um Desenvolvimento sustentável, em que o combate às desigualdades assume um papel central, tem de ser uma prioridade. Esta é, aliás, a principal reivindicação de uma carta aberta dirigida aos chefes de Estado e de Governo da UE, subscrita por mais de 150 organizações da Sociedade Civil de vários países europeus, incluindo um conjunto de organizações Portuguesas que integram o Fórum da Sociedade Civil para os ODS (1).

 

(1) Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, CPADA – Confederação Portuguesa de Associações de Defesa do Ambiente, CNJ – Conselho Nacional de Juventude, Minha Terra – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local, PpDM – Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres e PPONGD - Plataforma Portuguesa das Organizações não Governamentais para o Desenvolvimento.
 

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
2019
2018
2017
2016
2015
2014
2013
2012
2011
2010